Como não sou como a comum das mulheres na casa dos 30, sem falsas modéstias sei que sou gira, inteligente, boa, divertida e amiga. Sou também mázinha, crítica, impulsiva, instável, insana. . Sou uma verdadeira Borderline.

.posts recentes

. Iva Domingues ou....a tri...

. Estou de volta!

. Finalmente o início da di...

. Vou começar a dieta do dr...

. Dicas para escrever melho...

. O meu baby. Lindo, não?

. Para ti, meu tesouro:

. O nascimento do bebé:

. O primeiro dia do resto d...

. A tão esperada alta médic...

.arquivos

. Novembro 2011

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2008

Terça-feira, 23 de Março de 2010

O exercício físico após o parto


Depois de ter o filho nos braços, a mulher não deve descurar da sua saúde, devendo praticar exercício físico sempre que possível. Além de contribuir para a recuperação da boa forma, a actividade física prepara a mulher para as exigências inerentes à maternidade.

Quando começar

A maioria dos obstetras aconselha a mulher a esperar, pelo menos, seis semanas após o parto para retomar qualquer tipo de actividade física.

Ao proceder a um check-up completo pela sexta vez depois do parto, o médico terá condições para aprovar a realização de actividade física, podendo até sugerir este ou aquele exercício que melhor se adequa à condição física da mulher. Geralmente, são exercícios de baixo impacto – pelo menos, na fase inicial –, que pretendem tonificar e fortalecer os músculos afectados pela gravidez.

É evidente que esta posição dos médicos não invalida que certas mulheres se comecem a exercitar um pouco mais cedo. Tudo vai depender da capacidade física de cada uma, bem como do grau de dificuldade do exercício em causa. Ou seja, em vez de inscrever-se num ginásio e realizar rotinas um tanto ou quanto agressivas, basta à mulher dar um passeio de três quilómetros para iniciar a recuperação da sua boa forma física.

Em suma, as preocupações da mulher que tenciona retomar a actividade física depois do nascimento do filho são as seguintes:

  • Tentar esperar pela “luz verde” do obstetra para iniciar a actividade física.
  • Demasiada actividade durante as primeiras semanas após o parto pode causar um agravamento do corrimento vaginal. Há, portanto, que começar devagar e com moderação, até porque a mulher precisa de conservar a sua energia para recuperar do parto.
  • A mulher que deu à luz por cesariana tem de aguardar entre seis a oito semanas, até que a incisão esteja completamente cicatrizada, para retomar a actividade física.

 


Exercícios recomendados

topo

Para recuperar a boa forma anterior à gravidez, a mulher deve praticar natação, ciclismo, “jogging” ou marcha, durante, pelo menos, meia hora (o ideal mesmo seria 50 minutos), três a cinco dias por semana.

Se quiser, a mulher pode combinar a natação ou a marcha com rotinas preparadas e realizadas dentro de casa. Por exemplo:

Exercícios pélvicos

Os exercícios pélvicos ou exercícios de Kegel, consistem em contrair e relaxar os músculos da vagina e do períneo (área entre a vagina e o ânus), permitindo uma melhoria da circulação sanguínea nessas zonas. Este tipo de exercícios também previne determinados problemas típicos da fase pós-parto, como por exemplo a incontinência.

  • Deve deitar-se de costas com os joelhos dobrados e os pés no chão.
  • Contrair os músculos da vagina como se se estivesse a tentar impedir o fluxo da urina quando vai à casa de banho.
  • Contar até quatro e depois relaxar.


Flexões

As flexões são o exercício ideal para alongar e fortalecer os músculos superiores do corpo, proporcionando à mulher uma maior resistência, indispensável na hora de levantar ou carregar o bebé ao colo.
  • As costas têm de estar direitas e a parede abdominal contraída.
  • Os braços passam da posição de flectidos para estendidos, sucessivamente.
  • Deve respirar normalmente, enquanto estende e flecte os braços.
  • Repetir dez a doze vezes.


Abdominais
  • Deitar de costas com os joelhos dobrados e as mãos por detrás da cabeça.
  • Respirar fundo e, ao expirar, contrair os músculos do abdómen e levantar a cabeça e os ombros do chão.
  • Descer lentamente a cabeça e os ombros.
  • Repetir a sequência oito a dez vezes.


Nos meses seguintes ao retomar da actividade física, se se sentir apta para tal, a mulher pode (e deve) adicionar novos esquemas à rotina e elevar o número de repetições. Desta forma, o grau de dificuldade será maior, mas os benefícios daí decorrentes também.

Nesta fase, é conveniente iniciar cada exercício com uma sessão de aquecimento, entre cinco a dez minutos.
sinto-me: um cú de chumbo!

publicado por Moky às 22:50

link do post | comentar | favorito

Ideias para titulos sobre BEBÉS em páginas de scrapbooking:

"Bring Home Baby"

"Love Makes Little Things Grow"

"Loves Grows"

"Sweet Baby"

"Cute as a Bug"

"A Labor of Love"

"When We First Meet"

" Like the Stars in Sky"

"Light of My Life"

"Everything Changes"

"A Picture of Love"

"Life Stops for No One"

"My Little Miracle"

"Bundle of Joy"

"Life Changes Everything"

"Sweet Dreams"

"Our Story"

"The Story of Me"

"Ten Little Toes"

"The Perfect Picture"

"A Picture of Love"

"A Picture is Worth a 1,000 Words"

"Memories of You & Me"

"All Because Two People Fell In Love"

"So This Is Love"

"Special Delivery"

"My Work of Art"

"Patience Is A Virtue"

"My Masterpiece"

"Like No Other"

"Just Be!"

"A Few of My Favorite Things"

"What a Face"

"What a Day"

"Only You"

"The Perfect Day"

"One Moment in Time"

"Stolen Moments"

"Linked by Love"

"Moments Worth Remembering"

"Unbearably Cute"

"No Greater Love"

"Gifts to Celebrate"

"Cherish Every Moment"


publicado por Moky às 16:47

link do post | comentar | favorito

23 março de 2010

Hoje quando te visitei, pelas 11 horas, para te dar banho reparei que já consegues tirar a sonda a ti próprio. Nada que já não tivéssemos imaginado que iria acontecer mal tivesses força para tal, pois és daqueles bebés cheio de genica e força. santiago, sabes que como estás empre com as mãos na cara não prevejo dias muito diferentes de hoje em diante, rapaz... Prepara-te para um põe e tira constante. Ai, ai...

 

depois das 11.30 h iniciámos o ritual do banho: primeiro retirei-te a fralda com presente e deixei que a enfermeira te pesasse: 920 gramas! Enafilho, hoje passaste a barreira das 900 gramas, agora queremos é que caminhes para a das 100 gramas, n é? Estás finalmente a ganahr peso, meu amor... Continua assim, nem imaginas como nos fazes sorrir!!!

 

Após o banho estiveste a meu peito, fiz de "mãe-canguru", e aí sim, fomos realmente como que um só, fomos mesmo mãe e filho!! Eu aproveitei cada segundo para te olhar, te admirar, decorei cada milimetro do teu rosto, cada preguinha de teu corpo, cada movimento teu, cada pestanejar...

Tu aproveitaste para me tocar, me cheirar, apalpaste-me o peito, tentaste olhar no meu rosto, como quem tenta decorar algo importante, para nunca mais esquecer. Que lindo filho...

 

Este momento do nosso dia vale por todo o resto, é como que um recarregar de baterias, no qual vou buscar toda a energia diária, toda a energia que necessito. E quando te devolvo á "Girafa", a tua incubadora, parece-me a mim que este dia chegou ao fim, coloco a zeros o contador decrescente que vai marcar o tempo que falta até ao dia de amanhã... que estranho...

 

Obrigada e mais 24 horas...


publicado por Moky às 16:27

link do post | comentar | favorito

O bebé e o leite materno. Sim ou não?

 
 
O bebé e a amamentação
 
O leite materno é a forma natural da mãe alimentar o seu filho, como tal, não existe melhor alimento para o bebé. Além de em termos nutricionais estar perfeitamente adaptado às necessidades do bebé, também do ponto de vista imunológico é inigualável, protegendo a sua saúde como nenhum outro. O Aleitamento Materno também favorece a saúde da mãe e é, obviamente, vantajoso em termos económicos e ecológicos.

O vínculo que se forma entre o par de amamentação Mãe/Filho é muito forte, reforçando a afectividade entre ambos, sendo muito menos provável que uma mãe que amamente, abandone ou maltrate o seu filho. Tanto a mãe como o filho saem desta experiência mais enriquecidos e com uma maior segurança e auto-estima.

Contudo, a falta de informação e apoio prático, levam a que muitas mães, apesar de todas estas vantagens, não consigam superar as dificuldades com que se deparam no decorrer da amamentação e esta se torne, em vez de um prazer, uma situação desesperante, o que leva ao abandono precoce da amamentação. É notório que as taxas de amamentação são muito mais baixas do que seria desejável.

Fonte: http://www.sosamamentacao.org.pt

publicado por Moky às 15:49

link do post | comentar | favorito

Domingo, 21 de Março de 2010

A Prima...vera!|

Hoje começa a primavera, é dia 21 de Março. a mim apetece-me continuar a dar vida: Á 18 dias dei-te vida a ti Pukinha. Agora, que tal eu plantar uma árvore? passei este dia a pensar várias vezes nisto. Mas o mais parecido que fiz foi regar as plantas....

De tarde visitámos-te. Estavas lindo, meu filho. Entrei primeiro com o papá e procurams saber, junto da enfermeira, qual o teu estado e temperatura. Soubémos que estavas estável, tranquilo, bem e que pesavas 810 gramas. É de notar que este peso não foi tirado na balança da girafa (encubadora) mas sim na balança de rodas que nós, pais, julgamos estar a roubar peso a vós. Paciência. Amanhã também é dia, não é?

 

Engraçada é a sensação com que encaramos o teu aumento de peso... e ver como umas simples e escassas gramitas podem fazer toda a diferença!! 

                        Cada vez me sinto mais uma mamã babada!                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                     


publicado por Moky às 23:15

link do post | comentar | favorito

Sábado, 20 de Março de 2010

20 de Março - aniversário da avó Céu

Eu e o pai acordámos ás 9.30h e preparámo-nos para te ir ver, bebé. Quando chegámos á maternidade estava quase na hora do teu banhinho e a enfermeira Nazaré (para mim uma das mais fixes...) já estava a preparar tudo para que eu te pudesse lavar. Hoje pesavas 865 gramas, mais 40 gramas que ontem, uma enorme alegria para nós, que festejamos ao máximo cada grama por ti ganha... Realmente também te acho mais forte, na cara não há dúvidas.

 

Santiago com  17 dias

 

Pelas 13 horas fomos almoçar com a tua avó Céu. Oferecemos-lhe um ramo de rosas (4 laranjas- por nós 2, e 2 amarelas - por ti bebé), um postal escrito pelos nossos corações e uma série de fotos tuas, Puka. Claro que a avó amou!!!

Pelas 16h recebeste a visita das avós (Céu e Graça) e depois dos papás. Todos adorámos estar contigo, estavas lindo e super interactivo. Sabes, já olhas para a mamã e para o papá sempre que falamos contigo e tentamos captar a tua atenção.

- Ó filhote.... estás a crescer!!! Lindo!

 

Com amor, dos papás.


publicado por Moky às 18:28

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 19 de Março de 2010

O que é um prematuro?

A duração de uma gravidez é considerada normal, quando o parto se produz entre a 38ª e a 42ª semanas de gestação. Quando os bebés nascem antes das 38 semanas, então estamos perante um bebé prematuro ou também denominado de pré-termo.


O que é um prematuro ?!

 
 
O bebé prematuro caracteriza-se pela imaturidade do seu organismo, tornando-o mais vulnerável a determinadas enfermidades e, também, mais sensível a determinados factores externos (como sejam a luz e o ruído).
Neste sentido, a prematuridade pode classificar-se, segundo a idade gestacional, da seguinte forma:
Prematuridade Limite: compreende o grupo de bebés nascidos entre a 37ª e a 38ª semanas de gestação;
Prematuridade Moderada: pode ser definida quando o bebé nasce entre 31ª e 36ª semanas;
Prematuridade Extrema: Os recém-nascidos pré-termo extremo, são definidos como aqueles cuja idade gestacional é menor ou igual a 30 semanas, apresentam, como consequência desta maior imaturidade, problemas mais frequentes e mais graves, sobretudo os menores que 27 semanas.
Um bebé prematuro merece, assim, cuidados redobrados, uma vez que não teve a oportunidade de completar todo o processo de maturação biológico, dentro do útero da mãe.
No que se refere ao seu aspecto físico, destacam-se como principais características, as seguintes:
  • Tamanho pequeno; 
  • Baixo peso ao nascer;
  • Pele fina, brilhante e rosada, por vezes coberta por lanugo (penugem fina);
  • Veias visíveis sob a pele;
  • Pouca gordura sob a pele;
  • Cabelo escasso;
  • Orelhas finas e moles;
  • Cabeça grande e desproporcionada relativamente ao resto do corpo;
  • Músculos fracos e actividade física reduzida;
  • Reflexos de sucção e de deglutição reduzidos
Os bebés prematuros, e dada a imaturidade que os caracteriza, podem mais facilmente adoecer. O risco associado a esta situação revela-se mais elevado quanto maior foi o grau de prematuridade e menor for o seu peso, muito em particular nos casos em que apresentam um peso inferior a 1500g.
É muito importante que os pais de um bebé prematuro conheçam a patologia própria destes bebés. Para isso é necessário que exista uma boa comunicação entre estes pais e as equipas médicas e de enfermagem que se encontram encarregues de cuidar do bebé. Aos pais deverá ser dada a confiança suficiente, para que possam expor livremente as suas dúvidas e preocupações, assim como, deverão ser criadas todas as condições para que os mesmos possam usufruir do seu bebé, desenvolvendo-se, desta forma, laços afectivos fortes, que tão importantes são para ambas as partes.

publicado por Moky às 15:33

link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 18 de Março de 2010

Ora toma lá um descolamento da placenta ou... um parto HIPER RÁPIDO:

O descolamento de placenta é uma eventualidade grave. Pode ocorrer em qualquer época da gravidez acima da 20ª semana e necessita de intervenção urgente para salvar o concepto.
Ocorre em aproximadamente 1% das gravidez, 6,5 para cada 1.000 partos.
Existem causas traumáticas, acidentes por exemplo, e causas não traumáticas. Dentre estas está a hipertensão materna como a principal.
Existem dois tipos de descolamento:

  1. Descolamento com hemorragia visível (Figura 1) quando uma quantidade de sangue é expelida pela vagina e há uma forte dor ou contração uterina. Ocorre em aproximadamente 80% dos casos.

     

  2. Descolamento com hemorragia invisível (Figura 2) quando não há sangramento visível e o único sintoma é uma forte dor ou contração uterina.

A operação cesariana é geralmente indicada e há necessidade de cuidados intensivos da mãe durante e após o parto pelo risco de hemorragia grave.


publicado por Moky às 22:47

link do post | comentar | favorito

Testemunho da estadia do Santiago no serviço de neonatologia - nos cuidados intermédios:

É de referir que o nosso bebé esteve primeiro nos cuidados intensivos durante 6 longos dias, passando neste 6 dia para os cuidados intermédios, o que nos fez gritar de alegria: O nosso menino não precisava mais de cuidados extraordinários, era independente a nivel respiratória, cardiaco, renal, etc... sendo que a unica coisa que ainda necessitava era mesmo de crescer!!

 

na chegada á u.c.intermédios deparám o-nos com uma série de alterações:

  •  Já não nos era permitido visionar o bebé 24h por dia através da vidio vigilancia, o que nos deixou novamente ansiosos. note-se que existe cameras nesta unidade e em todas as encubadoras, contudo foi-nos informado que estavam avariadas... Enfim....
  • Nesta unidade intermédia já não existem quartos individuais: cada enfermaria tem 8 incubadoras e existem 3 salas/enfermarias. Agora, quando queremos falar com o nosso bebé temos de o fazer com todos os outros pais ou enfermeiras a assistir, o que nos deixa inibidos... mas ateñção, nao é nada que não se ultrapasse!!!
  • Agora é-nos permitido participar no banho do bebé: existem banhos ás 9h e ás 11h. Como o nosso Santi só acaba a toma de leite pelas 11h, tem-nos calhado sempre esse horário de banho, o que para nós é óptimo devido á distância de nossa casa á Mac.

Decidi passar a relatar por aqui as conquistas que nós pais e o nosso bebé Santiago fazemos em conjunto, desde o dia 17 de Março ( 14º dia de vida do Santi), primeiramente porque foi a partir deste dia que se deu o inicio do aumento gradual de peso do bebé. Note-se que o Santi chegou ao peso minimo de 730 gramas ( a 16 de Março).

 

Assim:

 

  • A 17/03/10 deu-se a primeira grande subida de peso: passou de 730 gramas a800 gramas. Causa: Inicio da toma do leite materno fortificado.
  • A 18/03/10 e apesar de não ter có-có na fralda, o Santi pesava 810 gramas.

 


publicado por Moky às 21:06

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
25
26

27
28
29
30


.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds