Como não sou como a comum das mulheres na casa dos 30, sem falsas modéstias sei que sou gira, inteligente, boa, divertida e amiga. Sou também mázinha, crítica, impulsiva, instável, insana. . Sou uma verdadeira Borderline.

.posts recentes

. Iva Domingues ou....a tri...

. Estou de volta!

. Finalmente o início da di...

. Vou começar a dieta do dr...

. Dicas para escrever melho...

. O meu baby. Lindo, não?

. Para ti, meu tesouro:

. O nascimento do bebé:

. O primeiro dia do resto d...

. A tão esperada alta médic...

.arquivos

. Novembro 2011

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2008

Terça-feira, 22 de Junho de 2010

Vou começar a dieta do dr. Fernando Póvoas...mas sem Póvoas!

 

Hoje fui a uma consulta na clinica do Dr. Póvoas.

1ª impressão: que o dr. Póvoas é conhecido pelo médico dos famosos, já nós sabíamos, agora que para marcar uma consulta para o próprio implica uma espera de 5 meses.... vai lá vai....

2ª impressão: Até gostei da primeira consulta com o dr. Vergílio. Simpático, decidido. Claro quea primeira coisa que me retirou foi o Serouquel, um anti depressivo fortissimo, que engorda para o caraças...

3ª impressão: ensinou-me algumas regras para bem comer, quais os alimentos proibidos, horas e composicão das refeições.

4ª impressão: toma lá 75 euros, vai lá a farmacia aviar os medicamentos ( e largas lá outro tanto...) e marca já a proxima consulta onde vens prestar provas dos resultados....

 

Tenho esperança, deus queira que comigo resulte a sério. Mas ainda n tenho os medicamentos, ficaram a fazer só lá para sexta estão prontos... E eu com a pica toda. Bolas...

 

Vou passando para dar noticias.

 

Há, é verdade: 7 kilos é urgente perder já, mas o ideal é perder outos 10...

sinto-me: gorda

publicado por Moky às 20:37

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Dicas para escrever melhor:

Adoro escrever. Inclusivé já fiz uma formação de escrita criativa, mas infelizmente ainda não entreguei nenhuma parte do que escrevi.

Agora fui mãe e parece que o tempo livre, ideal para escrever, terminou. Mas não. Ao ler blogs como este, vejo que estou errada:

 

DICAS PARA ESCREVER #1: EXPECTATIVAS E MUDANÇAS

 

Se está bloqueada/o a escrever, há muito tempo, comece por pensar que o problema é das demasiadas expectativas. Afinal escrever é uma coisa que se deve fazer antes de mais para si, e que o objectivo prévio tem de ser sempre esse.
Depois, mude os hábitos e os ambientes: se escreve a computador, vá buscar um bloco; se escreve a caneta, troque-a por um lápis. Se escreve em casa à janela, mude de lugar. Se nunca escreveu num café, sente-se e escreva. Se escreve sempre a ouvir música, mude de música. Já pensou que uma banda sonora ajustada ao que está a escrever pode ajudar? Se nunca escreveu a ouvir jazz ou música clássica, força.
E, mais importante do que tudo isso: se fica horas a pensar na primeira frase ideal ou estilosa, que vai parar o mundo depois de a ler, esqueça. Comece pelo mais simples, pela ideia em si, em bruto. Tem muito tempo para rever depois.
Mude de hábitos consigo mesma/o, e comece a escrever de uma forma descontraída e natural como nunca se deixou fazer.

 

DICAS PARA ESCREVER #2: A IDEIA, NÃO OS ARREDORES

 

Um dos problemas ao escrever, depois de ter uma ideia, é em vez de escrevermos a ideia logo, fazermos tudo menos isso: escrevemos o percurso até à ideia, explicamos a ideia, desmembramos a ideia.
A primeira coisa a fazer quando se tem algo para escrever que nos parece ter interesse, é escrever isso directamente. Há tempo para explicar e melhorar depois.
Um dos truques pode ser também escrever a ideia de três formas diferentes. Uma mais directa, uma mais preocupada com o estilo, outra que aponta para o final. Escreva as três. E depois siga a que lhe parecer que lhe abre mais caminhos.

 

DICAS PARA ESCREVER #3: O FIM, NÃO O PRINCÍPIO

 

E se em vez de escrever o princípio da ideia que tem em mente, escrevesse o fim?
É excelente estar a escrever sem se saber para onde vai, levados pela emoção, pela imaginação, mas há alturas em que é preciso tomar opções. E o problema, a meio de um texto que foi escrito como uma paixão, é pensar: para onde é que isto vai? Nessas alturas, crie um fim.
Dou sempre esta imagem: é como se tivesse de desenhar um arco, e para isso precisa de um fim, para que o meio possa funcionar. Tente escrever o princípio e o fim, e verá a liberdade que isto lhe traz para criar melhor. Até porque o fim e o início são em geral as partes mais trabalhadas e reescritas.

 

DICAS PARA ESCREVER #4: NÃO SOU EU QUE FAÇO FALTA?

 

Temos a tendência para programar o enredo, criar personagens fortes, e tentar o mais possível afastar o texto da nossa biografia e das nossas experiências. Porém, quando sentimos que o texto não funciona, porque está demasiado afastado, seco, mental, construído, podemos aproximá-lo antes de mais de nós. Colocar uma experiência pessoal, na boca do narrador, na vivência de uma das personagens, pode imediatamente criar uma relação que vai contagiar todo o texto. E uma mais valia para trabalharmos até essa experiência pessoal a vários níveis, podendo até ajudar a abrir portas no texto.

 

 


publicado por Moky às 20:37

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 7 de Junho de 2010

O meu baby. Lindo, não?

 

Que olhar tão profundo bebé!

 

 

Ai que soninho filhote!!!

 

P.S: Gosto. Gosto das fotos do nosso ultimo investimento familiar, uma Nikon D3000. Recomendo ás mães e pais babados. Deixem-se de fotos de telemóvel, só estragam os vossos retratos... Acreditem.

 

 


publicado por Moky às 22:33

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
25
26

27
28
29
30


.tags

. todas as tags

.links

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds